Swami Yogatirthananda Saraswati

SINCERIDADE

Começar o mês da sinceridade significou colocar em prática o que havia visto nos três meses anteriores sobre serenidade, regularidade e ausência de vaidade. Não basta ter insights e compreensão se as ideias não fazem parte da vida cotidiana. Se este treinamento nas ITIES tem algum significado, definitivamente implica a sinceridade de viver de acordo com um novo entendimento. Sinceridade vem depois da ausência de vaidade, porque a sinceridade é o trabalho árduo após idéias elevadas.

Mas como viver com sinceridade? Para mim, significou harmonizar pensamento, palavra e ação. Para fazer pensar, falar e agir uma unidade. A ferramenta, o caminho é a sinceridade, mas o resultado também é a sinceridade. Sinceridade é um esforço constante para se empenhar e alcançar essa unidade de pensamento, palavra e ação, mas uma vez alcançada, a sensação e satisfação resultantes são de sinceridade.

A mente em busca de facilidade freqüentemente encontra conflito. Se pensamento, palavra e ação coincidem e constituem uma entidade harmoniosa, então há suavidade ou fluxo. Por exemplo, quero escrever uma carta e não o faço porque é difícil ou desagradável. O resultado é inquietação, conflito ou mesmo culpa. Mas se o pensamento é seguido pela ação, não importa o que aconteça, sem pensamentos intervenientes, sem prevaricação, então não há conflito, não há desperdício de energia. A sinceridade faz com que a ação siga o pensamento ou palavra anterior. Sinceridade implica honestidade porque pensar uma coisa e fazer outra é desonesto.

Swami Yogatirthananda Saraswati

"Se você quiser fazer um sankalpa yogi, adote as dezoito ITIES de Swami Sivananda:

   Serenidade, Regularidade, Ausência de Vaidade,
   Sinceridade, Simplicidade, Veracidade,
   Equanimidade, Fixidez, Não Irritabilidade,
   Adaptabilidade, Humildade, Tenacidade,
   Integridade, Nobreza, Magnanimidade,
   Caridade, Generosidade, Pureza.

Cada mês pratique uma ITIE. Se você conseguir viver essas dezoito ITIES por dezoito meses, então ganhará algo inestimável em sua vida. Quem sabe, talvez até a imortalidade. "

Swami Niranjanananda Saraswati

Swami Niranjanananda Saraswati

Às vezes, seus entes próximos e queridos lhe dão mais dor. Seus inimigos dificultam você, mas dói mais quando seus próprios parentes dificultam. Isso se deve à expectativa. Se uma pessoa de quem você não espera nada abusa de você, você pode ignorá-la, mas não pode aceitar o abuso daqueles a quem você está ligado. Você quer ver seus desejos realizados em sua vida. Você deseja que as deficiências, deficiências e desejos não realizados da sua vida sejam satisfeitos na vida da outra pessoa.

A culpa não é dos outros que o machucaram; a culpa é sua, pois você quer que o outro seja como você. Você se esquece de que os outros têm seu próprio destino, fado e karmas acumulados. A direção da vida e ocupação de seus familiares e parentes pode ser exatamente o oposto das suas. Cada indivíduo tem seu próprio destino. O motivo da infelicidade e do conflito é que você não aceita o destino dos outros, mas tenta impor sua vontade a eles, sejam eles amigos ou inimigos.

Paramahamsa Niranjanananda

Todos nós temos dificuldade em lidar com as energias negativas de outras pessoas. Por que sentimos que alguém está abusando de nós ou sendo negativo em relação a nós? Por que reagimos? O principal motivo é que as expressões de outras pessoas afetam e alteram nossa autoimagem e, como resultado, ficamos magoados. Quando outras pessoas se expressam, nós reagimos. Não estamos preocupados se eles são positivos ou negativos porque reagimos de qualquer maneira. Qualquer que seja a expressão, ela altera nosso conhecimento e conceito de nossa autoimagem e leva a sentimentos de rejeição, negatividade, abuso ou maus-tratos.

Vejamos o assunto não de um ponto de vista yogi tradicional, mas de um ângulo diferente. Existe uma palavra em sânscrito, swabhavaBhava significa 'natureza' ou 'sentimento' e swa significa 'pessoal', 'eu'. Se estivermos cientes de nossa natureza pessoal, situações de conflito, de perturbação mental e emocional, podem ser evitadas. Swabhava vai muito mais fundo do que a compreensão normal de atitudes, comportamentos, interações e reações. Geralmente, nós reagimos para e nos identificamos com as expressões externas de um indivíduo, não com sua natureza real ou expressões reais. Nas expressões externas, há uma combinação de ego, desejos, ambições e até mesmo forças e fraquezas, e nunca somos realmente capazes de observar o estado real ou o estado interno do indivíduo.

Swami Satyasangananda Saraswati

O Bhagavad Gita diz que o sábio não lamenta nem os vivos nem os mortos. Se não lamentarmos, onde está nossa compaixão?

Luto por alguém não significa que você tem compaixão. Compaixão é quando você tem amor e um tipo de sentimento de unidade com a criação. É um tipo de amor incondicional. Só chorar por alguém que está morto não significa que você tem compaixão.

Não há morte.

Você chora por ignorância. Se você tem conhecimento sobre a morte e a vida e uma compreensão dos processos de vida e morte, não precisa lamentar. Supondo que este edifício fique velho, esfarrapado e quebrado e um dia esteja sendo demolido, de que adianta o luto? Você quer continuar vivendo naquela casa velha e esfarrapada que está caindo, onde a chuva está entrando, onde você não consegue se proteger? Não, você quer uma nova casa. Com um entendimento ou uma filosofia, não há necessidade de lamentar.