quinta-feira, 14 de julho de 2016

Educando para a Paz em uma nova escola da Rede Municipal

Estamos iniciando nessa semana a implementação do Educando para a Paz em uma nova escola municipal da cidade. O Educando é um projeto de Yoga na Educação do Ganapati que leva o Yoga a centenas de crianças da rede municipal de ensino de Caxias do Sul. 
No Educando os professores recebem aulas de Yoga e oficinas mensais, nas quais aprendem técnicas para realizarem com os alunos, em sala de aula.
Om Shanti.










sexta-feira, 1 de julho de 2016

Quais são os componentes da meditação?

Primeiramente, a meditação é um processo de eliminar o estresse de nossa personalidade. A meditação se transforma em uma técnica de controle do estresse, através da qual são eliminadas as frustrações psicológicas e emocionais.
Logo a meditação se transforma em uma forma de dar foco à mente, concentração. Este é o segundo componente. O estado de concentração é tão sutil, que não é afetado nem pelas distrações nem pelas dissipações dos sentidos. A concentração não é internalização. É somente ter controle dos quatro cavalos selvagens fujões, controlar as rédeas de manas (mente), buddhi (intelecto), chitta (memória) e ahamkara (ego) e dirigi-los para que movimentem no caminho que vocês decidam.
O terceiro componente é o processo de interiorização, mergulhar profundamente na natureza interior para descobrir quais são os componentes básicos de nossa personalidade: os samskaras (impressões mentais profundas), os karmas (efeitos gerados por ações passadas), as influências, as impressões, as bases mentais e psicológicas de nossa natureza emocional sattwa (qualidade da mente superior), a natureza luminosa do ser. E logo, a meditação nos ajuda a superar nossas conexões com o ego. O ser individual é transcendido.
Depois de transcender a individualidade, se experimenta samadhi: absoluta harmonia e equilíbrio. No segundo capítulo do Bhagavad Gita, Arjuna pergunta a Krishna: “Podes descrever como vive, age, caminha, fala, dorme, como e se move uma pessoa realizada?” Krishna lhe responde: “As ações dessa pessoa não são diferentes das nossas. Se move como tu e como eu, come como tu e como eu, dorme como tu e eu, pensa como tu e como eu. A única diferença é que ele superou a dualidade da vida. Inicialmente tudo o que fazermos, o fazemos por nós mesmos e somos o centro do universo, logo, o amor e a compaixão se convertem no centro do universo, e todo o resto gira ao redor disto.”
Esta afirmação indica o progresso da meditação, desde o controle da ira, da frustração, do estresse e das fobias, até o desenvolvimento da autoconsciência, da conexão com a natureza positiva e do descobrimento da paz e da harmonia, para viver uma vida plena, não nos conectando conosco mesmos, mas com o mundo que nos rodeia.
Esta é a importância da meditação na atualidade.
A autorrealização é alcançável, porém não necessária. O que se necessita é a capacidade de controlarmos a nós mesmo de uma maneira melhor. Comecemos por aí. Se podemos aprender a controlar a nós mesmos de uma maneira melhor, talvez vamos descobrir que não necessitamos realizar-nos, que estamos permanentemente nesse estado de realização.

Cultivating Spiritual Awareness, Swami Niranjanananda Saraswati.http://www.yogamag.net/archives/2005/bfeb05/cultivat.shtml